Livro: “Maurice” – de E.M. Foster



Views:21|Rating:5.00|View Time:10:3Minutes|Likes:1|Dislikes:0
Nesse vídeo Afonso Jr. apresenta o livro “Maurice” – de E.M. Foster
https://afonsojunior.blogspot.com/

O interesse de Forster por literatura floresceu cedo e aos seis anos ele já escrevia suas primeiras histórias. Sua vida escolar teve início na tradicional Tonbridge School, em Kent.
https://emforsterbrasil.blogspot.com/p/edward-morgan-forster-nasceu-em-01-de.html

O superego – Glossário Freud | Christian Dunker

Do Amor como identidade
Sem Platão, não haveria Edward Carpenter, um dos primeiros ativistas LGBT ingleses — ou o próprio Wilde.
http://www.blogdacompanhia.com.br/conteudos/visualizar/Do-Amor-como-identidade

Passagem para a Índia,1984

Top 10 Notes: A Room with a View

O Bloomsbury Group era um renegado literário que desempenhou um papel fundamental na exposição do espectro LGBT às classes altas vitorianas de mente fechada.

Edward Carpenter
https://pt.wikipedia.org/wiki/Edward_Carpenter

Ao longo dos séculos XIX e XX, diversos autores franceses, britânicos, alemães e norte-americanos produziram um conjunto de obras nos campos científico, literário e historiográfico responsável pela criação de um universo discursivo homoerótico que propagou uma multiplicidade de representações da pederastia grega em franca oposição e desafio à moralidade sexual dominante naqueles países.

O poeta e antologista inglês Edward Carpenter (1844-1929) era socialista e foi um dos primeiros ativistas políticos homossexuais.

http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/VGRO-82TLDA/tese_de_daniel_barbosa_dos_santos.pdf?sequence=1

Após sua morte, as razões de reticência de Forster entraram em foco. Em um diário de 1964, ele refletiu que “eu deveria ter sido um escritor mais famoso se eu tivesse escrito ou melhor publicado mais, mas o sexo impediu o último”…

Forster não estava escrevendo sobre “sexo” no sentido amplo da palavra, mas, mais especificamente, o “sexo” que significava algo para ele: sexo e amor entre os homens…

Apesar da passagem do tempo e dos indivíduos (a quem ele achava que a revelação de sua homossexualidade iria doer mais), Forster acreditava que não havia uma profunda progressão desde os dias da convicção de Wilde, e pensava que as atitudes públicas haviam mudado apenas gradativamente. “De ignorância e terror à familiaridade e desprezo”.
Em vez disso, ele legou o manuscrito de Maurice a Isherwood e, um ano depois de sua morte, a história de amor mais próxima do coração de Forster foi publicada.
https://www.bl.uk/20th-century-literature/articles/e-m-forsters-gay-fiction

EM Forster e sua “confusão maravilhosa”
Durante várias décadas, EM Forster esteve envolvido em um triângulo amoroso com um policial e sua esposa – um acordo não convencional em que o romancista encontrou a felicidade.
https://www.theguardian.com/books/2012/feb/17/e-m-forster-my-policeman

E M Forster Talks About Writing Novels

Alan Turing foi perdoado. Reino Unido indulta homossexuais condenados por antiga lei
https://www.dn.pt/mundo/interior/alan-turing-foi-perdoado-reino-unido-indulta-homossexuais-condenados-por-antiga-lei-5639719.html

You may also like...

1 Response

  1. pelademocraciareal says:

    Obrigado por mais esta bela síntese!
    Seria legal, nos próximos vídeos, colocar nos títulos idéias ou frases centrais das obras.
    Normalmente não conhecemos os autores ou obras. Então isso pode ser uma forma de atrair ainda mais pessoas a abrir o vídeo e conhecê-los 😀

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *